Curriculum


Nascido em S. Lourenço de Mamporcão (Estremoz), tendo dedicado parte do seu tempo à pintura de cartazes e catálogos, à ilustração de capas de livros e a um bom número de colaborações jornalísticas e radiofónicas. Licenciado em Ensino na variante de Educação Visual, pela Escola Superior de Educação de Portalegre (E.S.E.P.), frequentou a Faculdade de Belas-Artes de Lisboa e é Mestre em Sociologia pela Universidade de Évora. Tem comissariado diversas exposições de outros artistas plásticos portugueses, em diversos espaços na cidade de Estremoz e outros lugares no Alentejo.

Conta mais de duas centenas exposições colectivas e individuais, tanto em Portugal como no estrangeiro. Já esteve presente, com o seu trabalho em três continentes. Destaca-se as exposições realizadas no Brasil, Espanha, França, Estados Unidos, Japão, Itália, Inglaterra, Chile entre outros. Tem sido convidado para inúmeras exposições a nível nacional e internacional.
Conta já com oito prémios no seu currículo, sendo três em plataformas on-line.
Representado em colecções nacionais e estrangeiras. Tem trabalhos em organizações institucionais, pública (museus, bancos, câmara municipais e institutos públicos) e particulares.

Participou em exposições: Alandroal, Almada, Alcochete, Arganil, Albufeira, Alenquer, Aljustrel, Alter do chão, Arcos de Valdevez, Arronches, Arruda dos Vinhos, Aveiro, Azeitão, Barcelos, Beja, Belas(Sintra), Borba, Braga, Campo Maior, Cartaxo, Cascais, Castelo Branco, Castro Verde, Chaves, Coimbra, Constância, Coruche, Covilhã, Cuba, Elvas, Ericeira, Estremoz, Entroncamento, Évora, Évoramonte, Figueira da Foz, Funchal, Golegã, Gouveia, Guarda, Guimarães, Horta, Lamego, Leiria, Lisboa, Mafra, Mértola, Monsaraz, Montalegre, Montemor-o-Novo, Montijo, Moura, Óbidos, Oeiras, Oliveira de Azeméis, Ponte de Lima, Portalegre, Portel, Portimão, Porto, Porto Santo, Rio Maior, São Brás de Alportel, Santa Marta de Penaguião, São Brás de Alportel, São João da Pesqueira, Salvaterra de Magos, Samora Correia, Seia, Santarém, Setúbal, Sintra, Tavira, Tabuaço, Vila do Conde, Vila Franca de Xira, Vilamoura, Vendas Novas, Vidigueira, Vila Viçosa, Vila Real de Santo António, Vila Velha de Ródão, Viseu e Vizela (Portugal),. No estrangeiro em Espanha, na Caja de Ahorros (Zafra) (exposições individuais), no Centro Cultural Alcazaba (Mérida), em “Poésie Visuelle dans Paris” (Paris), em “30Th Anniversary ARTEXPO” (New Yorque), em Torino, São Paulo e Londres. A destacar o “Concorso Internacional di Pittura Figurativa Contemporanea” (seleccionado) – Fundazione Alfredo D`Andrade – Museu Centri-Studi – Torino (Itália), a “Seconda edizione della rassegna internazionale di arte contemporanea del formato 20×20” – Napoli (Itália), a “MOSTRA TRAJECTOS” – Casa de Portugal – São Paulo (Brasil) e a “MOSTRA BRASIL-JAPÃO – comemoração do centenário” Nichiyu International – Nagoya (Japão), 2008. Em 2009 esteve presente em “Donna… tra sacro e profano – ISCRIZIONI CHIUSE” – Mostra Internazionale d’Arte Contemporanea – Galleria Civica, Enna (Itália), e em Londres. O pintor considera particularmente gratificante a Exposição “Los juegos míticos del pensamiento”, que promoveu em Mérida (Espanha), em 2007, e “Aqui, pelo Sonho é que Vamos”, realizada em 2005, na qual pintou poemas de Sebastião da Gama. Em 2009 pintou poemas de António Simões, do Livro “Minha Mãe Amassa o Pão. Para além de todos os destaques, salienta-se a presença na III Bienal do Porto Santo, em 2009 (como artista convidado). Este ano participa na exposição de lançamento de Cáceres capital da Cultura 2016, Exposicion Artistas Plásticos de la Raya III, em Cáceres e no Encontrartes numa mostra de artistas surrealistas portugueses. Já participou em mais de cem exposições.

Em 2010, realiza a primeira exposição nos Açores e é Consultor em Estremoz da Bienal de Porto Santo.

Em 2011 a exposição na Sala Vaquero Poblador, em Badajoz, foi um momento importante, porque a mostra teve uma crítica muito favorável. Neste mesmo ano expôs em mais duas galerias por onde passaram grandes nomes das arte portuguesa e estrangeira: Galeria Aquarius e Galeria Lucília Guimarães. Finalmente uma exposição com obras sobre o Livro “Estevas” de Sebastião da Gama, no Museu Sebastião da Gama, em Azeitão.
No ano de 2012, participou na exposição colectiva que inaugurou a Galeria NT (Montijo), com uma exposição individual. Abriu a Galeria Arte Grémio (Coruche) e foi convidado a realizar uma individual na Casa do Alentejo em Lisboa. Neste ano, das exposições colectivas, destaca a participação na MIAB – Portugal International Art Biennal – 2012. Participação em mais duas exposições no estrangeiro (EUA) no Open Doors 2012 e no consulado de Portugal em Paris, com o Círculo Artur Bual.

Para 2013 destacam-se as exposições com o título “A MINHA MÃE AMASSA O PÃO…”, com maior relevo a que aconteceu nas Galerias, Tínturaria (Covilhã), Municipal (Rio Maior) e Museu Extremeño (Olivenza).

Para 2014 destaca-se a exposição efectuada no Museu Municipal de Estremoz e as colectivas nos Estados Unidos no Aeroporto de New Jersey e em Parth Amboy com o tema “Fado” e a participação na grande exposição “6 Continentes” (em mais de 60 cidades sobre a lusofonia).
No ano de 2015 volta a estar na exposição para as Comemorações do Dia de Portugal em Newark, como o “Fado” e é convidado para participar na exposição das comemorações dos 150 anos da Cruz Vermelha Portuguesa. Uma das suas obras é distinguido com um prémio na Região Autónoma da Madeira.

Já no ano de 2016 volta a ser convidado para integrar a exposição MIAB – Portugal International Biennal 2016, na Ilha da Madeira.

Em 2017 é mais uma vez convidado para integrar a exposição MIAF – Portugal International Biennal 2017, no Museu da Electricidade, no Funchal, Ilha da Madeira
Para 2018 salienta-se as exposições feitas na Livraria ler Devagar no Lx Factory, bem como, o Leth Art (exposição internacional) em Ponte de Lima e as exposições nas Galerias D. Pedro no Porto e ArtJoven em Badajoz. Outras notas foi o regresso à Galeria Vieira Portuense e em Coimbra participar num certame no Museu da Água.

Os destaques de 2019 vão para a participação na Bienal de Gaia, em dois polos, Seia e Estremoz, as exposições colectivas Doze d`arte, na Fábrica de Braço de Prata, em Lisboa, e na Pousada de Beja, com Human for World. Outras exposições relevantes foram a no Museu das Caves de Santa Marta de Penaguião, com a temática do vinho e a da Igreja da Amadora com cariz religioso.

No ano de 2020 a participação em exposições colectivas com nota relevante a de Seia e Aljustrel, comemorativa dos 20 anos do círculo Artur Bual, e a OnLine Sem Limites da associação SOS Artes, fundada em tempo de pandemia Convid-19, isto para além da Individual na Galeria do Entroncamento.

Em 2021 esteve presente como convidado na exposição internacional, on-line, em virtude da pandemia Covid-19, “Universal Confraternization” 83th International Cultural Exchange of Arts | 22th Edition Virtual Art Show 2021″ – Noruega e representando Portugal em Espanha a individual  INp@r #IN por Aqui retorno… |como do outro lado|, em Olivenza.


Conta já com cinco prémios no seu currículo. Uma menção honrosa, atribuída, em 2015, na Ilha da Madeira, e um segundo prémio, atribuído, em 2016, no Sardoal, uma Medalha de Prata em Setúbal e uma menção honrosa, em Oeiras. Em 2017 um terceiro prémio na Exposição ArtOeste, em Lisboa.
2015 – Menção honrosa, Prémio de Pintura da JF Sta Maria Maior, na Ilha da Madeira 
2016 – Segundo prémio, Concurso “À Descoberta do Mestre do Sardoal”, no Sardoal 
2016 – Medalha de Prata, na Exposição de Pintura da Artiset – AAAGP, na Casa da Cultura, em Setúbal.
2016 – Menção Honrosa, na Exposição O Vinho e os Descobrimentos – Adega Marquês de Pombal (XIV Congresso Internacional de Confrarias) , em Oeiras.
2017 – Terceiro prémio, Exposição ArtOeste, promovida pela Cultartis, Associação de Artes das Caldas da Rainha (Prémio atribuído pela selecção do público e artistas expositores).
Conta com três premiações em plataformas on-line em 2008 e 2011 com o ArtMajeur Silver Award e em 2014 no AZ`art no Facebook.


No seu currículo conta com mais de cem exposições colectivas e individuais, tanto em Portugal como no estrangeiro. Já esteve presente, com o seu trabalho em três continentes e dando-se nota apenas das exposições nos últimos anos.
 
Representado em colecções nacionais e estrangeiras. Tem trabalhos em organizações institucionais, pública (museus, bancos, câmara municipais e institutos públicos) e particulares.

Música de Sérgio Galoh